07
Set 11

2º dia Refugio Tazarhart (3000m) – Refugio Mouflon (3200m)

Saímos do refugio eram 6h15min e o tempo estava bom. Começamos por uma descida descida, mas claro depois veio uma longa e penosa subida que graças ao seu pronunciado zigue-zague (o maior que já fizemos) lá chegamos ao topo da subida (3500 m). Depois a partir daí o percurso foi sempre a descer e com uma vistas magnificas sempre com o refúgio Mouflon no alcance dos nossos olhos. Devido às previsões do tempo, o Abdul tinha sugerido irmos nesse próprio dia ao cume, mas chegados ao refúgio (11h) e com as nuvens sobre o céu, ficou decidido que o cume seria no dia seguinte. Essa opção acabou por agradar a todos. Assim fomos almoçar, descansamos e até deu para tomar um duche. Este refúgio, mais parece um “hotel”, é bastante bom com condições excelente (até nem normais para um refugio de montanha).

Ao jantar ficou decidido que iríamos começar a subida às 2h30m. Fomos para a cama muito cedo para tentar dormir um pouco.

Sabíamos que o Toubkal não exige grande técnica na subida (pelo menos nos meses de Verão). Este 2 dias de caminhada que fizemos foram muito importantes pois permitiram ao nosso organismo humano aclimatar.

 

3º dia - Refugio de Mouflon (3200m) – Cume Toubkal (4167 m)– Aldeia de Imlil (1750 m)

2h26mim partida para o cume do Toubkal!

O acordar foi às 2h00 como combinado no dia anterior e após um ligeiro pequeno-almoço saímos para a nossa tão esperada ascensão e objectivo: ver o nascer do sol no cume do Toubkal. Saíndo do refugio o caminho segue em direcção ao outro refugio e andamos um pouco no vale até à cascata onda atravessamos o rio em direcção à encosta direita. A subida começou à luz de frontal, no entanto e como estava quase Lua cheia a visibilidade era óptima, alguns nem luz necessitavam.  O caminho está bem trilhado, a subida tem um declive que não pode ser considerado difícil e assim cada um ao seu ritmo fomos subindo, com algumas paragens para o grupo reunir. Ao fim de algum tempo atingimos o colo, já poderíamos ver para o outro lado da montanha, ali viramos à esquerda e continuamos a subir. Foi por esta altura que se deslumbrou pela primeira vez a famosa pirâmide metálica no cume do Toubkal. Foi bastante motivante para todos, o cume era “já ali” e o sol estava quase a acordar. Após os últimos metros e esforço e r ao fim de 3H10 quando finalmente todos tínhamos chegado à pirâmide, o cume estava “conquistado” – ( realço conquistado pois é diferente dizer conquistado do que dizer “tínhamos chegado”, chegado é para quem vem de viagem, conquistado dá aquela ideia de esforço e de atingir um objectivo e incentiva a novas conquistas…).

Após as várias fotos da praxe, e do sol aparecer (mais fotos) começamos a descida, esta foi mais rápida, e ao fim de 2H30 já estávamos no refúgio agora sim a tomar um merecido pequeno-almoço.

 

A descida para Imlil cada um fez ao seu ritmo, afinal já não havia pressa e todos estavam descontraídos, e pelo caminho ainda paramos para tomar o famoso sumo de laranja. Almoçamos no local onde fizemos as primeiras compras: lenços para as mulheres e ….para os homens.

Até Imlil foi um saltinho, e aqui depois de alguma espera viajamos para Marraquexe. Basicamente fomos deixados na praça perto do nosso Hotel, pois o movimento não permitia mais. A confusão era total e para nós que vínhamos da calma da montanha aquilo parecia o caos.

 
Texto do Picos e da Europa

Participantes: Cenourinha, Europa, J-Preguiçoso, Messe, Picos, Raio de Sol, Sherpa, Sherpa-Lhamu

 

(Continua)

publicado por Vamos Ali às 12:01

06
Set 11

Com um atraso de 50’ lá saímos do aeroporto com destino à nossa grande aventura pelo Reino de Marrocos. Chegamos a Marraquexe por volta das 20:30 mas mal saímos do avião sentimos logo o calor de África! Tínhamos à nossa espera um senhor com uma placa que dizia Sr Sherpa Jorge e logo nos identificamos. Também nos foi logo apresentado o nosso guia que nos acompanharia nos próximos 6 dias. Chamava-se Abdul

Na 1ª noite já no refúgio em Imlil, serviram o primeiro de muito tajines destas férias!

Nos primeiros 3 dias íamos para a montanha. O objectivo era subir ao cume do Toubkal, a montanha mais alta do norte de África com 4167m.


1º dia – Imlil (1750 m) – Refugio de Tazaghart (3000 m)

Neste dia conhecemos as nossas 3 mulas e respectivos moleiros (rapazes que levavam as mulas e que tratavam das nossas refeições). Também estivemos a falar um pouco com o  Slimane que nos propôs alterar um pouco o percurso. Sugeriu então para o 1ª dia subirmos ao refúgio Tazaghart e depois no dia seguinte até refugio Mouflon e no outro dia fazer o cume e descer directo a Imlil. Segundo ele, como queríamos fazer, depois da subida ao cume vir ainda dormir a Tazaghart era muito violento em termos de esforço. E mais tarde concluímos que o Slimane tinha razão.

Deixamos as nossas mochilas junto às mulas e começamos então a caminhar por volta das 8:30. O guia sempre com um passo certo mas devagar. Fomos passando por sítios bonitos e diferentes. O tempo estava óptimo, estava calor mas não tanto como estávamos á espera. O trajecto das mulas era o mesmo que o nosso, e rapidamente nos ultrapassaram. De repente e no meio de nada, no alto de um colo eis a primeira visão ... Fanta e Coca Cola à venda, escondidas do sol debaixo de um arbusto. 10 Dhr a garrafa (não chega a 1€), não houve dúvidas o pessoal recuperou logo ali da subida com uma bebida. Tivemos também neste dia o primeiro contacto com alguns berberes que viviam na montanha, crianças que vinham ao nosso encontro e que nos pediam qualquer coisa. Cerca das 13 horas, deparamos com um almoço preparado pelos moleiros. Mantas sobre o chão e foi de imediato servido o famoso chá de menta. De seguida serviram uma salada muito bem decorada e colorida com alface, tomate, pepino, pimento, azeitonas brancas e pretas, massa cozida e atum e sardinhas. Depois da melancia e do chá para fechar, seguimos o nosso percurso. Agora de barriga cheia custou um pouco mais, mas o que compensou foi a paisagem e as cascatas que fomos nos deparando. As máquinas fotográficas estavam sempre prontas para mais uma foto. Ate caíram umas pingas mas logo voltou o sol. Fomos subindo, subindo até ao refúgio...

Este refúgio era bastante pequeno. Depois de tratarmos da nossa higiene, uns na cascata outros no refúgio lá fomos até ao “quarto” que ficava no sotão. A boa disposição era uma constante e estivemos a preparar a nossas liteiras, a conversar se teria ou não “ratones”, a conviver e a rir. Em baixo, na (mini) cozinha estava a ser preparado o nosso jantar, com toda a dedicação dos nossos moleiros. Desta vez foi cuscuz e uma sopa com forte sabor ao “persil”. Tratava-se de uma especiaria marroquina e que dava à refeição um sabor forte e que uns gostavam (ou toleravam) mais que outros.

 Depois de jantarmos fomos descansar e tentar dormir, já que a saída estava marcada para as 6 horas.

(continua)

 
 

Texto do Picos e Europa
Participantes: Cenourinha, Europa, J-Preguiçoso, Messe, Picos, Raio de Sol, Sherpa, Sherpa-Lhamu

 

(Continua)

publicado por Vamos Ali às 14:42

Segue-nos no

subscrever feeds
pesquisar