23
Set 11

Eis chegado o dia 23 de Agosto (Terça-feira)!

Após o toque de despertar toca a refazer malas, tomar pequeno-almoço e ir ter com o nosso motorista que à hora marcada lá se encontrava mais uma vez. Contudo, desta vez o nosso mini bus ia dar boleia a mais um passageiro marroquino. Quem seria esta nova personagem? Um guia que após repetitivas investidas de licitações por parte do porteiro, acabou por ser seleccionado.

Chegados ao centro de Fés o guia fez o seu trabalho nos mostrando os monumentos mais apelativos visualmente sem esquecer a visita à medina, bem como o menos apelativos para as narinas. Nem o raminho de hortelã oferecido conseguia disfarçar tal aroma.



Fés – vista panorâmica

Relógio

Fábrica/Loja - Quem é que resistiu a não comprar nada aqui???


Bairro dos cortumes e das tinturarias em Fés do qual o aroma é singular e impossível de saborear. 

Os estômagos começavam a dizer que estava na hora de serem saciados e, como tal, fomos almoçar após findado o serviço requisitado ao guia. Local escolhido? Algo muito cosmopolita… McDonalds!

Após reforçados, era hora de voltar à estrada. No caminho paramos para visitar as Grandes Ruínas Romanas em Volubilis. E não é que desta vez fomos surpreendidos por um marroquino, sem mais nem menos, e à socapa, que tentou fazer-se passar por guia pago.

Momento “Karate Kid” em Volubilis 

Após 1h e tal de visita voltamos ao nosso mini bus que nos levaria a MéKnes (مكناس), cidade que foi construída há mais de 350 anos. A cidade histórica é rodeada por uma enorme muralha de 40km de ameias e torres.

Após entrada no hotel fomos conhecer a cidade. Desta vez não queríamos guia e recusamos algumas investidas. Mas a dada altura na entrada do Mausoléu de Mulay Ismail estava um marroquino de uma certa idade ao qual fomos perguntar se poderíamos visitar tal monumento. Pois… mais uma vez, afinal, acabamos com guia. Mas sempre nos deu uma aula de história e nos levou a visitar outro monumento. E não nos levou a visitar lojas? Mas acham que tal é possível com os guias em Marrocos???

Chegada a Méknes - Bab Mansour

Mausoléu de Mulay Ismail - embora não seja permitida a entrada a não muçulmanos, pode-se ver os túmulos, de Moulay Ismail e de outros parentes, desde a entrada. Também é permitidas a entrada a bichos estranhos. Relógio de Sol para saber a que horas fazer as cinco chamadas diárias à oração. Colocar a mão na água para dar sorte. Em árabe escrito – Inshallah = Se Deus quiser.

 
Habs Qara - Uma enorme prisão subterrânea onde Moulay Ismail alegadamente manteve presos cristãos.

Após visitar e conhecer a cidade fomos para o nosso hotel tratar de jantar e, após o mesmo, fomos tomar café a uma esplanada ao lado do hotel para relembra momentos de mais um dia de aventuras e acertar pormenores para o dia seguinte. Enquanto isto decorria um dos elementos esquivou-se e foi fazer uma mudança de visual.

Cliente e assistentes como nunca antes vistos em Marrocos 

Após tal mudança, decidimos dar mais gasto às solas e fomos conhecer a cidade “by night”. Agora agitada e com tal movimento, que parecia que a noite se transformava em dia. Seria só culpa do Ramadão?

As horas de repouso começavam a ser mais curtas e, como no dia seguinte teríamos pela frente novamente quase 500km de viagem, decidimos que era a hora do corpo & mente receber o merecido descanso, ou pelo menos tentar. E, no vale dos lençóis, findou mais um dia mas, sem escondermos a ansiedade pelo que nos esperava no dia seguinte.

Texto da Raio de Sol

(continua)

 

publicado por Vamos Ali às 12:10

21
Set 11

Fés & Méknes

 Eis chegado o dia 22 de Agosto (Segunda-feira)!

E eis chegado o dia destinado a conhecer o norte do país, uma vez que tínhamos andado sempre pelas zonas do sul. Onde nos levaria esta viagem? Até Fés e que viagem se fez! Quase chegamos aos 500Km de viagem.

Viagem essa mais uma vez aproveitada para momentos únicos ou repetitivos para os dorminhocos, pois aproveitavam para dar mais uns minutos de descanso aos olhos. Momentos tais como: pela primeira vez fizemos um almoço volante e com macacos por companhia. Sim macacos por companhia, até alguém se lembrar de ir dar um tête à tête com um deles que, mal visualizou tal figura humana, fugiu a “7pés”.

 

Cá está um dos exemplares que pegava na comida com um cuidado admirável!

 Após mais umas rodadas pelo asfalto e imensa admiração pela mudança radical da parte paisagística, uma vez que parecia que as cidades ou vilas deixaram de ser marroquinas e, passaram a europeias, lá chegamos a Fés (فـاس ), que foi fundada em 808 d.C. por Idriss II, tendo sido a capital de Marrocos durante vários períodos. A nossa paragem foi às portas do hotel. E que hotel! Sabe bem miminhos destes, quer dizer, sabem bem “caminhas” destas, ai senão sabe! 

Entrada do Hotel FES INN 

Após acomodação, se foi aproveitar uma esplanada e, pela primeira vez, sentimos que não fomos tão bem recebidos (onde andava o chã que nos brindavam fraternamente, em qualquer lado que chegávamos, nos outros dias?) mas também, pela primeira vez, os paladares dos “amantes” de café foram satisfeitos.

Chegou contudo a hora de jantar e, após o mesmo, o merecido descanso uma vez que no dia seguinte a agenda iria continuar preenchida até ao último milésimo de segundo. Ainda iríamos visitar Fés e teríamos a viagem até Méknes com a paragem em Volubilis.

 

Texto da Raio de Sol
(continua)

publicado por Vamos Ali às 12:01

Segue-nos no

subscrever feeds
pesquisar