13
Fev 13

A logística estava pensada para Gredos mas ficou adiada por falta de condições climatéricas. Depois de muito conferenciar…partimos no sábado cerca das 11h os 5 (Messe-Picos-Europa-Jota-Borboleta) para mais uma aventura em Sanábria. Fomos ao encontro de melhor tempo e em busca de novas aventuras.

Chegados á “Laguna de los Peces”, o sol brilhava e reflectia a sua luz na brancura da montanha, o céu apresentava algumas nuvens e o ambiente era de calmaria. A paisagem era magnífica. Iniciámos a caminhada em direção ao “ Embalse de Veja del Conde”. A neve estava boa para caminhar, semidura com algum gelo e com muita água á mistura. A temperatura variava entre o 0º e o -3º para nosso espanto não havia vento!

Alcançado o refúgio de Montanha de RioPedro, no Gr84 fizemos uma breve paragem para comer algo, saboreando o chazinho quente partilhado pelo Jota e Borboleta, enquanto desfrutávamos da belíssima paisagem, que o tempo claro e de boa visibilidade nos proporcionavam. Neste local encontramos uns montanheiros Galegos que comentavam a beleza desta paisagem em especial o Trevinca que estava “Mui Precioso” Ao nosso lado direito avistávamos o Maciço do Peña Trevinca e Peña Prieta e o vale do Rio Tera, ao nosso lado esquerdo as águas do embalse que refletiam a beleza de toda a montanha envolvente.

Decidimos pernoitar no sopé do Peña Trevinca, o sol já se punha e a temperatura baixava rapidamente. Montadas as tendas a vontade do Jota ainda era o desafio de subir o Trevinca numa noturna heheheh, mas o quentinho das tendas e dos sacos falaram mais alto e decidimos descansar.

O céu estava magnifico uma calmaria que mais tarde se veio a mostrar enganadora, pois a tempestade vinha forte e a caminho. Cerca da meia-noite as rajadas de vento sentiam-se cada vez mais fortes e as tendas sacudidas pelo vento, todos bem despertos o nosso silêncio fazia-se sentir mas no entanto estávamos todos expectantes na esperança das tendas aguentarem a ventania e o nevão que caia.

Assim que o dia nasceu levantamos as tendas com dificuldade pois as rajadas teimavam em levar tudo pelos ares. Mandou o bom senso que o regresso fosse rápido, para que a nossa segurança não fosse colocada em risco, pois a quantidade de neve e as fortes rajadas de vento e más condições de visibilidade assim o ditavam.

Percorremos novamente o trilho ao longo do vale e subimos em direção aos carros. Retemperamos forças e desfrutamos de um jantar em família montanheira no quentinho de uma casa Rural a ver a neve a cair intensamente, confirmando assim a boa decisão da nossa retirada.

Terminava assim uma aventura na companhia sempre bem disposta e repleta de camaradagem… culminando em Guimarães com um abraço ao Sherpa e á Sherpinha.

 

Messe




publicado por Vamos Ali às 10:20

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Segue-nos no

subscrever feeds
pesquisar